A Microsoft, pelo programa Airband, pretende levar Internet a todo o mundo. O objetivo mais recente estabelecido pelo programa é de ampliar o alcance para mais de 40 milhões de pessoas até 2022.

O projeto tem como principais alvos populações na África e na América Latina, locais chamados de "urgentes" pela empresa.

A ideia original do programa Airband, fundado em 2017, era de levar a conexão às zonas mais rurais dos Estados Unidos. A missão foi concluída e conectou mais de 3 milhões de americanos à rede, com isso, a empresa decidiu expandir o projeto para territórios internacionais.

Os primeiros países que receberam investimento do programa foram Gana e Colômbia. No nosso vizinho sul americano, o Airband conseguiu conectar mais de 6 milhões de pessoas. No país africano, cerca de 800 mil conseguiram receber conexão de rede.

Nessa nova fase do projeto, a Microsoft quer focar na América Latina e na África Subsariana, território correspondente à parte do continente africano situada ao sul do Deserto do Saara. A ideia é estudar as melhores e mais inovadoras tecnologias para levar a Internet a estes locais, além de trabalhar com os governos locais para remover obstáculos na regulação da tecnologia.

“Uma tecnologia sem fios ou um modelo de negócio que seja adequada para a conetar os clientes numa localização pode não ser adequada para conetar clientes em outra localização. A nossa experiência mostra que é preciso outra abordagem para fechar a fenda de conetividade”, apontou Shelley McKinley, responsável de tecnologia e responsabilidade corporativa da Microsoft.

Vale dizer que a empresa de Bill Gates não é a única a investir nesse tipo de programa. Tanto o Google, com o proheto Next Billion Users, quanto o Facebook, com drones e satélites, pretendem alcançar esse mesmo objetivo.

fonte: Olhar Digital

Deixe seu comentário

*Analisaremos seu comentário antes de exibí-lo no site.